Meu Recanto - Plinio Luiz
Um valor para a vida
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Áudios

Meu Velho
Data: 08/07/2016
Créditos:
Roberto Carlos
Copyright © 2016. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

MEU PAI...

Pai, muitas são as recordações de carinho, de amor que guardo de você ao longo dos anos. Hoje me deu um desejo grande de falar do único homem que amei em toda minha. Acima de você somente Deus.

Pai eu sei que neste plano não consegui expressar minha gratidão. Hoje, estou aqui relembrando, escrevendo e falando de você que, também, muito se sacrificou pelo futuro dos filhos.

Você que pouco frequentou uma escola, mas sempre procurou transmitir o aprendizado da escola da vida, que teve que ser muitas vezes ríspido para que entendêssemos o significado de educação e do respeito ao próximo.

Você que se mostrou muitas vezes distante, mas sempre próximo dos nossos problemas. Você que brigou, discutiu, censurou, mas sempre estendeu sua mão amiga nos momentos difíceis.

Você foi mais que um amigo. Fez parte de todas as minhas vitórias no reino das pessoas verdadeiras nesta vida.

Você foi importante na minha criação. A você me dediquei nos teus últimos dias.

Pai agradeço pelas lições de vida, pelos sermões, pelos conselhos, pelo colo amigo, pelo churrasco de domingo e por ter me proporcionado crescimento como homem de bem.

Deus te chamou ainda sedo... Sei que ai de cima pode observar meus passos, manias, gestos, aparência e constatar que carrego um pouco de ti. Carrego teu nome, os teus ideais, o teu sangue e o orgulho de ser teu filho.

Pai, a vida também me ensinou a ser pai. Por tudo que você representou em minha vida, dedico à você os meus melhores momentos como gesto de retribuição pelo homem que sempre foi. Tua ausência sempre será lembrada.

Hoje, mesmo não podendo te abraçar deixo aqui minha homenagem escrita.

Agradeço pela minha existência.
Obrigado por ser meu pai.

Plínio Luiz Teixeira
Redação: 01/agosto/2010
Enviado por Plinio Luiz em 02/08/2010

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Comentários